Palavra do Coordenador 2016

Prezados internautas, colegas da saúde, membros da GINANOBRASIL, curiosos e visitantes,

Hora de atualizar informações para todos que acessam nosso sitio.

Mais do que uma prestação de contas, quero parabenizar os organizadores das várias atividades ocorridas pelo Brasil em comemoração ao Dia Mundial da Asma em 3 de maio p.p.– Salvador, Fortaleza e Minas Gerais – noticiadas nas nossas páginas. Aos incansáveis batalhadores pela educação e informação/formação de profissionais, pacientes e seus familiares, meu muito obrigado. Como diz um texto antigo, um pouco modificado: “os homens (e mulheres) que lutam sempre (pelos ideais) são imprescindíveis”.

Hoje, 22 de junho de 2016, é um dia muito especial pelos acontecimentos emocionantes no Dia Nacional de Combate a Asma ocorrido ontem. Enfim começamos a mobilização pela meta proposta para o ano de 2016: evitar a morte que 500 asmáticos. Como fazê-lo? A epidemiologia nos mostra que perto de 50% dos que tem sintomas de asma, não tem diagnostico. E os medicamentos controladores consumidos nos indicam que menos de 50% dos que tem diagnostico, não estão em tratamento.

O que justifica porque o número absoluto de mortes está estagnado por volta dos 2000 ao ano, apesar da taxa de mortalidade (corrigida pela população) ter diminuído em quase todas as Regiões Brasileiras, com exceção do Nordeste. Numa conta muito simples, pode-se dizer que mais de cinco brasileiros morrem por asma todos os dias. Número assustador, uma vez que é quase certo que a grande maioria destas mortes poderiam ser evitadas.

Qual seria nosso desejo: nenhuma morte por dia? Será possível? Refletindo e conversando sobre as mortes, entendemos que para mudar este quadro teríamos de mudar comportamentos, quebrar mitos e tabus, influenciar pacientes e seus familiares, além de profissionais de saúde. Tentar chegar nas pessoas individualmente, informar uma a uma. Provocar com perguntas: Você sabe que a asma mata todos os dias? Você sabe o que é asma e porque ela pode matar?

Um levantamento no DATASUS do Ministério da Saúde em maio p.p., com ajustes em relação a idade, mostrou que pelo menos 3 pessoas entre 5 e 64 anos morreram por asma entre os anos de 2009-13 (ver gráfico abaixo). A exclusão das idades extremas pode ser um preciosismo, uma vez que muitos acreditam que existe uma subnotificação das mortes. Mas nos permite ser mais assertivos, pois são igualmente inaceitáveis 3 mortes por dia.

morte_asma_datasus
Com estes números e questionamentos em mente, assumimos que as trocas de informação hoje em dia se efetuam individualmente pela internet, através do smartphones, tablets, notebooks e PCs. E essencialmente pelas mídias sociais. E finalmente, depois de dois anos discutindo alternativas, pesquisamos e contratamos uma empresa de comunicação especializada em mídias sociais. Após reuniões de apresentação de dados e esclarecimentos sobre a asma, com a constatação que os próprios profissionais de comunicação responderam “não” às perguntas acima elencadas, chocados sobre a possibilidade de que pessoas próximas a eles poderiam morrer por asma, chegamos a campanha iniciada em 02 de Junho p.p que tem a seguinte chamada:

“A asma mata ao menos 3 pessoas todos os dias.
A mudança está em nossas mãos”

As mãos como instrumento de ação para mudança de comportamentos, quebrar mitos e tabus. Diminuir as mortes por asma com informações chegando ao celular de cada pessoa, ao computador pessoal. Interagindo pelo Facebook, impactando pelo Youtube, e permitindo uma troca de impressões. Posts, teasers, gifs e vídeos foram e serão publicados de junho a outubro, com a proposta de atingir pelo menos 3 milhões de pessoas que possam ajudar a evitar as mortes por asma. Os resultados destes primeiros 20 dias são emocionantes, como disse lá acima. Em especial, destaco o vídeo das mãos recriando uma crise de asma fatal, ludicamente, que foi visto por 100.000 (cem mil) pessoas nas 24 horas do dia de ontem. Chamo também a atenção às interações de asmáticos (e familiares) que confirmam desconhecimento sobre sua asma e o medo de morrer por ela. Vejam lá, ajudem nas interações, participem e divulguem. A GINANOBRASIL somos nós. E cabe a nós evitar mortes por asma. Acessem “GINANOBRASIL” pelo Facebook ou YouTube. Ou na aba “mortes por asma” no sitio www.ginanobrasil.org.br

Grande abraço

Rafael Stelmach

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *